Pesquisa

Resultados da pesquisa

sábado, 1 de outubro de 2016

Muitas chances para a paz

A Escola Espaço Criativo busca, com muita responsabilidade e rigor, através de uma abordagem indutiva, dialética, integradora e global, por meio da arte e de atividades que se incorporam a realidade do aluno, em conexão com a vida, com a humanidade e sua evidente necessidade de amor e virtudes, promover uma educação de qualidade e que responda aos desafios da nossa atualidade. Entende, ainda, a educação como assunto de responsabilidade social, de cidadania e, portanto, não restrita aos nossos muros. Temos o desejo e necessidade de compartilharmos com pais, comunidade e  educadores os nossos fazeres.



Durante o terceiro bimestre os alunos desenvolveram  atividades do Projeto anual do FESTIVAL DA PRIMAVERA que, em 2016, teve como tema “GIVE PEACE A CHANCE”. O objetivo foi de buscar, junto com os alunos,  uma pluralidade de caminhos capazes de instaurar o bem viver, de revitalizar a convivência com o outro e de regenerar a ética da paz e do amor. O Projeto contempla a Língua Inglesa através de músicas que, neste ano, expressaram nosso desejo de um mundo melhor.  Abaixo, estão trechos de respostas dos alunos durante a Atividade Avaliativa Interdisciplinar de Português, História e  Geografia, que também abrangeu o projeto.





Minha natureza floriu mais bonita enquanto ser humano. Para promover a paz estou lidando um pouco melhor com meu irmão, não estou mais tão nervosa e estou fazendo mais amigos.
 Luiza, 5º Ano A







Eu me identifico com o vilão Coringa nas situações em que erro mesmo sabendo que estou fazendo algo errado, quando magoo alguma pessoa e não sinto remorso e quando não consigo ver que a vida é bela...  
 Davi Catro, 5º Ano B







Getúlio Vargas foi um bom presidente para o povo quando duplicou o salário mínimo, criou as férias remuneradas, a carteira de trabalho, consolidou as leis do trabalho, criou a Petrobrás e a Eletrobrás para que todos os lucros fossem investidos no Brasil. Mas também foi um péssimo presidente porque foi admirador do nazismo, apoiou as ideias do Hitler e do Mussolini e se tornou um ditador. Fechou o Congresso Nacional, censurou a imprensa e extinguiu os partidos. Ninguém é só  bom ou só mal...
Isabela, 5º Ano A







Não podemos ver o mundo só através do nosso umbigo, não devemos pensar apenas em nós mesmos!
 Ana Clara, 4º Ano A





Eu me identifico com o coringa, pois em alguns momentos eu gosto de "ver o circo pegar fogo". (...) Me identifico, quando eu insisto com os meus pais, apesar deles já terem dito não, e quando eu provoco a minha irmã, fazendo com que ela brigue comigo. Nenhum ser humano é 100% bom e 100% mal. Todos estão no meio...
 Camila Borges, 4º Ano A






O poder corrompe, pois lidar com ele é difícil. A falta de poder também não é fácil  porque causa inveja e amargura...
 Eloin, 4º Ano B








Eu me identifico com o Coringa quando,  em pequenos atos, semeio a discórdia. Isso acontece comigo por motivos que não me agradam...
Giovana , 5º Ano A






Através do dialogo, da empatia e da tolerância podemos encontrar paz...
 Júlia Serradela, 4º Ano A














Todos os dias eu assisto reportagens sobre assaltos, assassinatos e a guerra na Síria e me pergunto: Where is the love?
 Igor, 5º Ano B




Eu causo a desarmonia quando firo os sentimentos dos meus colegas...
 Anna Luiza Bernardes, 5º Ano A





A paz é o estado mais bonito do homem, mas é o mais difícil de conquistar porque vivemos em uma sociedade diversa e caótica.
 Liz, 4º Ano A


























Quando cantamos nos unimos ao outro...
Gustavo Paste, 5º Ano B









O que me motiva a mudar o mundo é o desejo de viver em um lugar melhor.
 Anne, 5º Ano A






No Festival da Primavera floresceu um novo Nolan, mais pacifico. Eu enchi os meus pulmões para cantar a paz!
Nolan, 5º Ano B
























Por que existem pessoas que não conhecem a paz?

 Maria Clara, 5º Ano A





Só de conseguirmos reunir nossos familiares para cantar a paz,  já é um pouco de paz...
 Maria Eduarda, 4º Ano A
























Quem tem poder pode acabar abusando dele...
Letícia Bosges, 5º Ano A







Desejo o florescer das relações humanas...
 Felipe, 5º Ano B







































Eu me pergunto:  Por que os alemães seguiram o partido nazista? Quem garante que não seria igual com a gente? Desde muito pequenos ouviam que sua raça era superior...

 Henrique Pitaluga, 5º Ano A





Fiz um momento de reflexão quando estava cantando “Give Peace a Chance” ...
 André Corrêa, 4º Ano A





Por que algumas pessoas se acham superiores a outras? 
 Matheus, 5º Ano B





Em tempos de guerra inventamos o micro-ondas, o computador, o leite condensado, mas o que mais me chamou a atenção foi a margarina. Parecia manteiga e servia para os soldados passarem no pão seco.
 Valentina, 5º Ano A








Eu me senti muito bem em participar do Festival de Primavera. Isso mexeu comigo, tenho brigado menos com minha irmã, estou tentando corrigir o que faço de errado e agora penso no outro antes de agir.
 Olívia, 4º Ano A

























Quando cantei “Give Peace a Chance”, junto com a minha família, me emocionei muito!
Isadora, 5º Ano A






Não podemos ver o mundo só através do nosso umbigo, não devemos pensar apenas em nós mesmos!
 Ana Clara, 4º Ano A







Segue avaliação na integra:

AVALIAÇÃO INTERDISCIPLINAR
 HISTÓRIA & GEOGRAFIA

3º bimestre


1. Durante este bimestre, trabalhamos e refletimos muito sobre a PAZ, buscamos encontrar a serenidade dentro de nós para vivermos com alegria os bons momentos, ter força e boas ideias para enfrentar os problemas e resolver as dificuldades. Veja a mensagem passada na abertura da Assembléia Geral pelo secretario geral da ONU, Kofi Annan, no dia Internacional da Paz, em 21 de setembro de 2003:

               O Dia Internacional da Paz deve ser também, para a comunidade internacional em geral, uma pausa para reflexão sobre as ameaças e desafios que enfrentamos. Em algumas partes do mundo, há a percepção de que as principais ameaças à paz e à segurança são as novas e potencialmente mais virulentas formas de terrorismo, a proliferação das armas não convencionais, a difusão de redes criminosas internacionais e as maneiras como todos estes problemas se juntam e reforçam mutuamente. Mas, para muitos outros habitantes do nosso planeta, a pobreza, a doença, a privação e a guerra civil continuam sendo as grandes prioridades (2003).


Kofi Atta Annan (Kumasi, 8 de abril de 1938) é um diplomata de Gana. Foi, entre 1 de janeiro de 1997 e 1 de janeiro de 2007, o sétimo secretário-geral da Organização das Nações Unidas, tendo sido laureado com o Nobel da Paz em 2001. Annan e as Nações Unidas foram co-receptores do Prêmio Nobel da Paz de 2001 pela criação do Fundo Global de Luta contra Aids, Tuberculose e Malária para ajudar países em desenvolvimento em seus esforços para cuidar de seu povo.



Em 21 de setembro de 2006, Kofi Annan deixou sua última mensagem, como secretário – geral, em prol da paz:


Para alguns de nós, a paz é uma realidade quotidiana. As nossas ruas são seguras e os nossos filhos vão à escola. Quando o tecido social é sólido, os preciosos dons da paz quase passam despercebidos. Mas, para um número demasiado elevado de pessoas, no mundo de hoje, esses dons não passam de um sonho irrealizável. Vivem prisioneiras da insegurança e do medo. Estes são a principal razão de ser deste Dia”.

1.1.       Pensando sobre essas mensagens deixadas por Kofi Annan e em nossas reflexões em sala sobre a paz, escreva um parágrafo respondendo e justificando o seguinte questionamento: A paz existe para todos? O que é preciso para produzirmos paz? 

1.2.       Neste ano de 2016, a Escola Espaço Criativo escolheu para o nosso Festival da Primavera, o tema PAZ: “Give Peace a Chance”. Consideramos esse evento um ato de paz. Você acredita que ações como essa contribuem para a promoção da paz em nossa comunidade? 

2.             Não há como falar de paz sem falar de guerra. Esse foi outro assunto que abordamos neste 3º bimestre, a Grande Guerra. Contamos com a colaboração do Professor Juliano que, de forma delicada, nos enriqueceu com interessantes palestras abordando a temática.

2.1.       Juliano nos contou que Adolf Hitler foi responsável pelo Holocausto entre os anos de 1934 até 1945, causador da morte de milhões de pessoas durante o regime nazista da Alemanha. Hitler elegeu que apenas os alemães eram considerados como uma raça pura, e que os povos judeus, negros, homossexuais deveriam ser banidos da Terra. Essa é uma parte muito triste da história da humanidade!  

O nazismo apoiava teorias como a hierarquia racial, sendo que os povos germânicos (chamados de raça ariana) eram descritos como os mais puros, portanto, vistos como a "raça superior". O movimento tinha como objetivo superar as divisões sociais para criar uma sociedade homogênea, ao mesmo tempo em que buscava unidade nacional e tradicionalismo. Os nazistas tentaram conseguir isto através de uma "comunidade do povo" (Volksgemeinschaft) que iria unir todos os alemães e excluir aqueles considerados como "povos estrangeiros" (Fremdvölkische).
Em 1933, com o apoio das elites alemãs, Hitler tornou-se chanceler e os nazistas gradualmente estabeleceram um regime unipartidário e totalitário, onde judeus, opositores políticos e outros vistos como "indesejáveis" eram marginalizados, escravizados, presos e assassinados.


a)        Hitler foi um ditador que conseguiu convencer milhões de pessoas sobre a existência de uma “raça pura”, uma “raça superior”. Hoje, temos consciência desse fato como uma barbárie, uma atrocidade, como o maior holocausto da história, mas ainda nos pegamos, muitas vezes, elegendo estereótipos de beleza em nossa sociedade, e fazemos disso uma exigência, criticamos o outro e cobramos de nós mesmos um enquadramento nesses padrões. Como isso ocorre? Quem estabelece, dita esses padrões? O que nos influencia? 

b)       Um ponto interessante abordado pelo Juliano foram os grandes avanços tecnológicos durante a Segunda Guerra Mundial. Sabemos que guerras sempre causam sofrimento. Além das mortes em campos de batalha, esses eventos costumam causar misérias e fazer muitas vítimas indiretas. Mas, apesar disso, as guerras também fomentam a indústria tecnológica, criando máquinas e serviços que acabam sendo incorporados pela população civil, anos ou décadas mais tarde. Escolha um invento ou avanço que mais lhe chamou a atenção e discorra sobre ele.  

Getúlio... um estadista e também um ditador?!

 Você sabe o que é populismo? Quando nos deparamos com presidentes e líderes políticos com carisma e de grande prestígio popular, vemos o seu governo gerar apoio da população. A ideia do populismo é de o líder estabelecer não laços racionais, mas emocionais com as pessoas, entrar em contato com o povo, sem intermediários. A proximidade, dessa forma de governar, gera mais afeição pelo líder e maior influência sobre o povo. Ou seja, o líder se torna poderoso!

c) No controverso mundo da política, ninguém é tão bom, nem tão mau a ponto de ser unanimidade. E o ex-presidente Getúlio Vargas, não é uma exceção. O pai dos pobres, do salário mínimo, das férias remuneradas, da carteira de trabalho, fechou o Congresso, censurou a imprensa, extinguiu partidos. Foi populista, mas também ditador. Escreva um parágrafo sobre o que você sabe a respeito desse período da nossa história, destacando sua disposição para o bem e sua propensão para o mal.
d) "O poder corrompe", diz o ditado. Muitos relacionam a corrupção com algo que faz parte da natureza humana. Mas e se o poder não corrompesse? Ou seja, se colocamos uma "interrogação" na frase "O poder corrompe"(?), ela pode nos ensinar algo. Um exercício de dúvida pode mostrar o outro lado das coisas. "O poder corrompe?" E a falta de poder, o que ela faz conosco? Reflita e discorra.
3.    Nos deleitamos ao assistir o filme italiano de 1997, "A VIDA É BELA", dirigido e protagonizado por Roberto Benigni. Uma verdadeira obra de arte capaz de mostrar beleza em uma época de extremo horror: o holocausto durante o nazismo.  Capaz de transmitir uma mensagem positiva que nos faz ver a vida de uma melhor maneira, independentemente das circunstâncias que possam estar acontecendo ao nosso arredor. Não se trata de encontrar melhores paisagens... podemos enxergar com novos olhos. Isso significa que nossa vida tem sempre algo positivo, mesmo em meio aos problemas. O que precisamos é encontrar uma nova e melhor forma de ver as coisas para nos dar conta que, em verdade, a vida é bela

“Esta é uma história simples, no entanto, não é fácil de contá-la” – Trecho do filme A vida é bela.

3.1.  E para ver a vida de forma bela, precisamos estar em paz. Paz no convívio social e paz no mundo. Para tanto, o primeiro passo seria buscar resolver nossos conflitos de forma pacífica. Aprendemos que conflitos, todos temos... mas o modo de resolvê-los é que se modifica, de pessoa para pessoa. Seria então, através do diálogo, da empatia e da tolerância uma forma de alcançarmos a paz?! Escreva como a empatia pode ser um recurso positivo para conseguirmos resolver nossos conflitos de forma pacífica. 

3.2. Joker (piadista, na tradução), ou Coringa, é um dos principais e mais famosos vilões da HQ’s do Batman. O personagem sempre fez sucesso entre os leitores de HQ, mas caiu mesmo no gosto popular com a interpretação do ator Heath Ledger em The Dark Knight (2008). O longa dirigido por Christopher Nolan, nos apresenta uma leitura mais realista, psicótica e cruel do personagem. O Coringa é oportunista, possui avançada inteligência, uma capacidade de levar os outros à total e decadente loucura, incitando seus inimigos ao desequilíbrio mental e emocional. Ele, muitas vezes, entorpece o bom senso de Harvey Dent. Sempre com sarcasmos e um senso destrutivo à flor da pele, o Coringa constrói situações nos quais as vítimas passam a acreditar que elas mesmas têm um percentual de culpa por tragédias ou crimes, provocados pelo perverso personagem. É tão real, que quase podemos nos ver no personagem, e talvez seja este o diferencial que atraiu a atenção do seu público. De alguma forma você se identifica o protagonista? Como e em que situações. Explique.