Pesquisa

Resultados da pesquisa

sábado, 14 de maio de 2016

Aprender a ser humano, aprender o amor


“Esperança, em seu sentido mais genuíno, significa fé na bondade da natureza humana. Significa confiar, acreditar ser possível ensinar (e aprender!) o diálogo, o reconhecimento da diversidade, a amorosidade, a solidariedade, a alegria, a justiça, a ética, a responsabilidade social, o respeito,
a cidadania, a humanização da escola.”
José Pacheco


Nascemos humanos ou nos tornamos humanos? Como aprendemos o amor? Afetos são fundamentais para nos tornamos humanos.  Nesta atividade refletimos sobre como aprendemos o amor e quais os valores que fazem parte do que elegemos para bem viver. Não é possível pensarmos a nossa existência sem vivermos as alegrias de quem aprende e ensina a amar.


Às vezes, eu deito na cama e me coloco no lugar do outro. (Henrique Maia, 2º Ano B)

Não nascemos humanos. Tornamo-nos humanos na medida em que aprendemos o amor, o respeito ao outro, a compaixão, a empatia. Os animais nascem e crescem apenas repetindo comportamentos instintivos. Já o ser humano aprende a se relacionar com o mundo e com o outro de forma a fazer o que é bom para ambos.  (Letícia Borges, 5º Ano A)

Eu considero o professor Sávio uma pessoa bela. Ele é amoroso com o outro, atencioso. É um exemplo de ser humano. (Maria Clara, 5º Ano A)


A escola me ajuda a ser feliz quando traz o mundo para dentro da sala, o conhecimento tem significado para mim. A escola também me dá liberdade de ser. (Anna Luiza Borges, 5º Ano A)

A felicidade do outro é essencial na minha vida porque nós podemos rir juntos! (Anna Luiza Borges, 5º Ano A)



Para termos uma sociedade mais fraterna é preciso boas escolas porque a educação humaniza as pessoas. (Isabela Bannwart, 5º Ano A)

Quando uma pessoa é feliz ela traz energias boas para o lugar onde ela está. Então, a felicidade do outro é também a minha... (Camila Borges, 5º Ano A)

Para mim, a minha colega mais feliz é a Anna Luiza Calixtrato . Feliz no sentido de estar sempre alegre. Essa alegria toda nos contagia. Eu tenho muito orgulho dela, pois é uma menina que supera suas dificuldades, é brincalhona e está sempre risonha. (Anne Pucci, 5º Ano A)


O tipo de responsabilidade que eu assumo nas relações com os meus colegas é o respeito a forma de ser de cada um, o respeito as nossas diferenças. (Valentina, 5º Ano A)

Em minha sala, a Luiza é muito feliz. Ela vive a vida de maneira mais leve, nos transmite alegria e tem uma energia forte. Tudo o que ela faz ela transforma em felicidade, em risos, em sentimentos bons. (Giovana Paranhos, 5º Ano A)

Na minha escola quem eu considero bela,  é a minha colega Valentina, porque ela tem empatia e quando alguém machuca ela está lá! A Valentina é um exemplo de ser humano, é valorosa! (Anna Luiza Bernardes, 5º Ano A)


Em nossa Aldeia, a pessoa que eu acho mais bela, é o Sr Lázaro. Ele é um exemplo a ser seguido. Todos os dias dá bom-dia para todos que entram e saem da escola. E eu percebo nas suas palavras uma energia enorme, uma felicidade tão grande, que deixa  o meu dia ainda melhor! (Giovana, 5º Ano A)

Eu considero a professora Bárbara bela. Ela nos ajuda quando precisamos, tem amorosidade  com todo mundo. Ela tem sentimentos fortes pela gente! (Valentina, 5º Ano A)

A Professora  Josy sempre quer ver todos confortáveis! O seu sorriso é cativante! (Letícia, 5º Ano A)


A Letícia, nossa colega,  sempre se preocupa conosco. Ela é uma pessoa valorosa. Sempre que estamos tristes, ela percebe e tenta nos fazer felizes. (Isabela, 5º Ano A)

O professor Sávio é muito amoroso com o outro. É atencioso. (Maria Clara, 5º Ano A)

Acho minha colega  Anne, linda! Ela é minha amiga e me ajuda. (Ana Luiza, 5º Ano A)


Uma sociedade mais fraterna só será possível com a diminuição da desigualdade social e com o fim dos preconceitos. É possível sermos fraternos na escola, evitando exclusões e respeitando as diferenças entre as pessoas. (Arthur Santos Maia, 4° ano A)




As responsabilidades que eu assumo com os meus colegas são: ser uma amiga fiel, ser solidário, ser humilde e não zombar, assim vivo melhor com os meus colegas. (Liz Alves Cruvinel, 4° ano A)

É muito importante nós aprendermos a ser pessoas fraternas, mas antes de FALAR precisamos AGIR, para isso, precisamos ser mais verdadeiros, parar de provocar o outro e ter empatia. (Maria Eduarda Gualberto, 4° ano A)


 Eu escolho o João Luiz como uma boa pessoa, porque ele é legal , amoroso e sensível, eu gosto muito dele. (Gabriel Marques Cardoso, 4° ano A)

Podemos crer em uma sociedade melhor fazendo a nossa parte, como: ter relação humana, amizade, amor, tolerância, humildade e afeto. (João Luiz Cascão de Almeida, 4° ano A)

Para mim, uma pessoa bela e a Prô Juliany, porque ela ajuda o próximo ensinando e humanizando todos os seus alunos, sempre mostrando os verdadeiros valores. (Ana Luisa Silva Batista, 4° ano A)



Com muita consciência, eles falam de amor, humanidade, empatia...